sábado, 17 de março de 2012

O ato de viajar


Olá, amigos!

Hoje não tenho nenhum assunto especial para falar aqui, mas quero falar um pouco apenas do maravilhoso e sempre bem vindo ato de viajar!
Viajar aquece a alma, nos torna mais cultos, mais tolerantes, nos faz perceber que existe um mundo muito maior que aquele que avistamos do nosso quintal. Viajar é cruzar as fronteiras não apenas físicas, mas culturais e linguísticas.
Comecei a viajar bem cedo, não me lembro exatamente quando, mas desde pequena que todas as férias eu e minha família saíamos em viagem para algum lugar do Brasil. Assim conheci primeiro as cidades do Estado do Rio de Janeiro como Visconde de Mauá, Itatiaia e Penedo. Depois, algumas cidades mineiras (Estado pelo qual tenho paixão!) como Poços de Caldas, São Lourenço, Caxambu, Tiradentes, Mariana, São João del Rey, Ouro Preto, Congonhas e Sabará. Ainda adolescente fui parar em Curitiba e Blumenau em pleno verão achando que lá sempre fazia frio (claro que tive que comprar roupa já que a mala não era compatível com o clima!). Também fui a Maceió e Porto Seguro, mas confesso que o Nordeste não faz muito a minha cabeça, levando em conta que não gosto de sol nem de praia e nem de comida condimentada. Ainda conheci a linda cidade de Campos do Jordão, na Serra Paulista,  para onde fui algumas vezes.
Só depois de adulta, formada e já tendo passado dos 30 anos é que me atrevi a viajar para fora do Brasil, começando com aquele destino clássico que a maioria dos brasileiros escolhe para primeira viagem internacional: Buenos Aires!
Como foi diferente aquela viagem! Não apenas por ser o primeiro lugar fora do meu país, tampouco por ser minha primeira viagem inteiramente sozinha, mas porque foi a minha primeira viagem para fora em tempos de internet! E como isso fez diferença!
Sempre gostei de guias e sempre os comprei, desde muito cedo, mas com a internet todas as informações ficam mais acessíveis, sem falar na gama de informações que se pode obter com um simples click no mouse. Foi nessa época que descobri o maravilhoso mundo dos blogs de viagem e seus mais ilustres integrantes e aí não parei mais! Lia, relia, lia em outro blog sobre o mesmo assunto, perguntava na caixa de comentários, mandava email para o blogueiro, enfim...foi somente em 2008 que o mundo das viagens "interneticionais"(junção para internet+internacionais) se descortinou à minha frente e, a partir daquele momento, viajar se tornou minha nova religião!
Desde aquela época, continuo comprando guias impressos e livros sobre viagens (tenho quase 3 prateleiras da estante cheia deles), mas nunca, em hipótese alguma, planejo uma viagem sem recorrer à internet.
Foi também naquela época que nasceu esse blog, no intuito de se tornar uma espécie de "diário de viagem", fosse das viagens já realizadas, fosse dos planejamentos para realizá-las.
Hoje em dia, passados 4 anos, ajudo alguns amigos e conhecidos a planejar roteiros, dou dicas  de hotéis, restaurantes, lojas, passagens aéreas e passeios. Algumas dessas dicas eu, de fato, experimentei. Outras não experimentei ainda mas estão nos meus planos. Tenho amigos que acabam realizando meus planos antes de mim por conta das dicas, o que é ótimo para troca de informações. Aliás, a troca é fundamental! Troco dicas com amigos que também amam viajar. A maioria desses amigos eu conheci primeiro virtualmente e só depois nos conhecemos na vida real. Alguns estão na esfera virtual até hoje.
Depois de Buenos Aires, veio minha primeira viagem à Europa . Uma conhecida minha havia feito um pacote por uma famosa agência de viagens e tinha se decepcionado horrores, então decidi não usar nenhuma agência no meu planejamento e fui, aos poucos, desbravando os percalços de como se pode viajar para Europa por conta própria. O truque é óbvio: antecedência no planejamento (principalmente se for a primeira vez) e muita leitura (física e virtual)!!!! Descobri que era mais fácil do que eu imaginava! Só precisava de uma boa dose de coragem e uma certa organização para que nada saísse errado (sempre tem algo que vai sair do controle, mas com essa organização, pode-se minimizar os danos).
Descobri o caminho das pedras de se planejar uma viagem utilizando a internet (com muita ajuda de grandes blogueiros como o Ricardo Freire do http://www.viajenaviagem.com/; a Mari Campos do http://pelo-mundo.blogspot.com.br/ e a Maria Lina do http://www.conexaoparis.com.br/; isso para citar apenas três) e hoje sei que posso ser minha própria agente de viagem  e de alguns amigos também (o que faço com grande prazer).
Não tenho nenhuma viagem planejada por hora, mas continuo devota do ato de viajar e recomendo sempre, a qualquer pessoa que tenha possibilidade financeira: viaje!
Depois de uma viagem o seu mundo muda! Tanto o mundo interno quanto a  percepção do mundo exterior! Novos horizontes se abrem e a gente percebe o quanto há para se descobrir! Muita gente não compreende essa vontade que arde ali, latente, pronta para ganhar ímpeto a cada possibilidade de nova viagem, contudo, de uma coisa eu tenho certeza: viajar é um ato que vicia! Porém, só vai trazer benefícios a quem puder escolhê-lo como seu único  e saudável vício!

Até Breve!
p.s. A foto acima é de Veneza em 2010