domingo, 16 de janeiro de 2011

Um dia dedicado à religiosidade em Buenos Aires

Olá, amigos!

Acordei cedo na sexta-feira, dia 7 para trocar dinheiro no Banco América da Calle Sarmiento. Dali fui almoçar em um restaurantezinho bem familiar chamado "La Petrona" (calle Juan Domingos Peron, 1594. Esquina com a rua Montevideo). Eu já conhecia esse restaurante da primeira vez que estive em Buenos Aires pois era na rua do meu curso e agora, dois anos depois, a comida continuava deliciosa, o preço barato e o atendimento simpático.
De lá tomei um táxi para ir até um parque temático que descobri nessas minhas andanças pela internet. Chama-se "Tierra Santa" e é o único parque com temática religiosa da América Latina.
É longe do centro, o táxi custou 40 pesos, mas o lugar é um encanto! Mesmo para quem não é religioso!
A entrada é 30 pesos por pessoa e te dá direito a assistir aos 4 pequenos espetáculos que existem lá, mais os shows de dança típica.




Na verdade o Tierra Santa é um parque que remonta Jerusalém. Tudo é muito fake, parece aqueles cenários de filme B, feitos de papelão e isopor, mas as fotos ficam ótimas! Ali pode-se ver a reprodução de cenas bíblicas com bonecos em tamanho natural. Pode-se interagir nas cenas e tirar fotos divertidas.



E não é só para quem é católico não, pois há também uma mesquita...


...uma homenagem a Lutero....


...e uma homenagem a Ghandi.


É um lugar bonito, grande e bem árido, por isso leve uma garrafa de água na mochila. Existem 4 shows, cada um contando uma passagem da bíblia (o paraíso; o presépio; a última ceia e a ressurreição de Cristo), todos feitos com bonecos de madeira, música, narração e iluminação especial. No caso da Santa Ceia os bonecos são articulados e Jesus até fala espanhol! É interessante!

O paraíso

O presépio

A santa ceia

A ressurreição de Cristo
Também assisti a um show de dança árabe muito bonito e depois comprei umas lembrancinhas (todas religiosas) nas barraquinhas que eles têm lá. Tudo bem em conta. Aliás, foi o lugar mais barato para comprar lembranças que fui esse ano em Buenos Aires.

No final, você pode adquirir uma foto que eles tiram de você logo na entrada. São 3 fotos por 50 pesos. Vem com uma moldurazinha de papel bem bonitinha. Caso não goste da foto, não é obrigado a comprar.
Passei 4 horas lá dentro, tirei inúmeras fotos! Foi bem divertido! O lugar é lindo e os funcionários se vestem como as pessoas daquela época, ou seja, a gente realmente se sente em Jerusalém! Caso vá passar um tempo maior que 5 dias em Buenos Aires ou ainda se não for sua primeira viagem, aconselho a visitar esse Parque, pois, com ceretza, você sairá de lá com uma sensação muito boa! Além de ser um passeio bem pitoresco!
Há um site para quem quiser saber mais detalhes: www.tierrasanta.com.ar/TS/index.php

Hasta Luego!

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2011

Dia da longas caminhadas em Buenos Aires

Olá, amigos!

Hoje fui ao Museu Histórico Nacional (calle Defensa, 1600. Aberto de quarta a domingo das 11h às 18h, sendo que quartas e quintas fica aberto até as 21h) que fica dentro do Parque Lezama, já no bairro de San Telmo, onde, segundo dizem foi a primeira fundação da cidade. Esse museu fica em um antigo palacete e tem um acervo de objetos, documentos e obras de arte que celebram os grandes acontecimentos da Argentina. É um museu pequeno e tem entrada gratuita.



Dali saí andando pela Calle Defensa e fui almoçar em um restaurante bem pitoresco chamado "El Desnivel" (Calle Defensa, 855). Comida deliciosa e farta! Preço justo.
Dali andei até a Basílica de Nossa Senhora do Rosário, onde está enterrado o General Belgrano, um herói da independência argentina. Essa igreja foi construída em 1751 e foi bombardeada pelos ingleses em 1807, quando eles tentaram invadir colônias espanholas. Ainda há a marca das balas de canhões nas paredes.


O interior é bonito e tem belos afrescos. Dá lindas fotos!



Mais tarde, fui até a Avenida Corrientes com a Callo pois eu queria rever umas lojinhas bem interessantes que tinha visto ano passado e que vendiam bottons, camisas, discos, livros, ímãs de geladeira, cartazes, enfim tudo com motivos portenhos. Porém, não encontrei mais essas lojas, elas deixaram de existir. Acho que a crise argentina as transformaram em sebos de livros e nada mais. Uma pena...
Aliás, esse ano eu percebi o quanto deve ser difícil para os argentinos viver aqui, pois a economia está péssima, a inflação é de 40% ao ano e o salário mínino é de 1400 pesos, mas pelo que vi no supermercado, esse dinheiro não compra muita coisa.
Esse ano o número de moradores de rua estava assustadoramente maior que dos dois anos anteriores e tudo estava muito mais caro.
Buenos Aires já foi um destino barato para os brasileiros, mas agora não tenho mais tanta certeza de que vale a pena...

Hasta Luego!

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2011