Mostrando postagens com marcador Paris- Gourmet. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Paris- Gourmet. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Paris, Paris e mais Paris

Bonjour, amigos!

Como nessa minha volta a Paris eu não fiz nenhum passeio muito diferente, vou fazer um resumão dos lugares para onde fui nesse e no próximo post, apenas pontuando o que mais me marcou e colocando algumas fotos.
Um dos meus grandes prazeres quando venho a Paris é comer bem, especialmente doces. Os franceses fazem doces realmente deliciosos e lindos! De comer com os olhos. Um dos meus doces prediletos é o éclair, que no Brasil chamamos de "bomba", porém, a massa francesa é muito mais leve, mais suave e o recheio bem menos doce. Nessa viagem, fui a dois lugares onde comi éclairs (éclaires? qual seria o plural de éclair?) incríveis. Um deles foi a Fauchon, uma espécie de épicerie que fica na Place de la Madeleine e onde vende um monte de doces, chás, geleias e outras delícias. Num dia em que eu estava passando por lá resolvi experimentar o éclair de caramel au beurre salé (de caramelo com manteiga salgada) que era simplesmente divino!!!! O sal faz com que o enjoativo do caramelo seja quebrado e a combinação fique perfeita!

Outro lugar onde fui e que foi indicação do amigo blogueiro Jorge Fortunato (http://viajandocomjorgefortunato.blogspot.com.br/) foi o Éclair de Génie. Fui ao de Saint Germain, na rue de L'Ancienne Commedie, mas existem várias filiais pela cidade. A variedade de sabores é menor que a Fauchon, mas a quallidade é igualmente especial. Escolhi o de baunilha e o de caramelo au beurre salé (é, este se tornou meu sabor preferido!)


Uma outra novidade que experimentei esse ano foi o "café gourmet", que é servido cada vez mais em restaurantes. No final, após o prato principal, em vez de se pedir "sobremesa + café", a gente pede esse tal café gourmet que consiste em 2 (ou 3 ou 4) mini sobremesas e um café. Ou seja, o melhor dos dois mundos! Tinha que ser francês  pra pensar nisso! É uma delícia! Pedi duas vezes, uma em um restaurante delicioso perto do meu hotel (que infelizmente não lembro o nome...) e o outro em um restaurante na Place des Vosges chamado  Café Hugo, onde, aliás comi um confit de canard delicioso como prato principal!



Confit de Canard do Café Hugo

Café Gourmet do Café Hugo, no Marais. Tem um mini creme brulée; um mini crumble, um mini mouse e um mini cheesecake, além do café, é claro! 

Nesse café Gourmet há um mini tiramissu e uma mini mouse, além de um biscoito que acompanha o café
Esse ano também voltei a dois lugares que já tinha ido e gostado em anos anteriores. O "Le Fumoir", que fica na rua lateral do Louvre e é ao mesmo tempo restaurante e biblioteca. Lá eu comi uma mistura curiosa de peixe com pedaços de moela de galinha. Parece bem estranho mas, por incrível que pareça, fica delicioso!
Salmão do Le Fumoir
E para finalizar esse post gastronômico, no meu penúltimo dia de viagem fui à Ladurée, aquela loja famosa por ter, se não inventado, pelo menos tornado o macarron famoso no mundo todo quando fez os doces para o filme "Maria Antonieta" de Sophia Copolla. Lá eu comi um delicioso mil folhas de baunilha!


Come-se muito bem em Paris. Para mim, a culinária francesa é uma das melhores do mundo! Não posso dizer que a comida lá seja barata, mas também não é absurdamente cara e vale cada centavo. É verdade que há alguns restaurantes do estilo "pega-turista", mas a maioria é bastante boa e alguns são surpreendentemente bons!
A bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2016

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Restaurantes nem tão caros em Paris

Bonjour, amigos!

Paris é mundialmente conhecida pela sua gastronomia, contudo, as pessoas que viajam com um orçamento mais apertado ficam com receio de ir aos restaurantes mais renomados achando que vão gastar muito, porém nem sempre isso é verdade. Há restaurantes famosos em Paris, com comida deliciosa e cujo preço é pouco mais caro que aqueles restaurantezinhos que se encontra pelas ruas com suas “fórmulas do dia” (entrada + prato+sobremesa).
Um desses bons restaurantes, principalmente para os amantes da carne vermelha, é “Le Relais de l’entrecôte”, que fica no número 20 da rue Saint-Benoît em Saint Germain des Prés (Há uma filial também no 101, Boulevard du Montparnasse). É bom chegar cedo (ele abre as 19h), pois há fila na porta. Não existe cardápio, pois o prato servido é único: entrecôte com um molho de mostrada, batatas fritas e uma salada verde, ao custo de 25,80 euros. São duas rodadas de carne. Eles primeiro servem a salada, depois a carne com molho e batatas. Quando você acha que já está satisfeito, vem outra rodada de carne com batatas. Tudo muito gostoso e atendimento simpático.


Saladinha de entrada no "Le Relais de l'Entrecôte"


Carne deliciosa no "Le Relais de l'Entrecôte"
Outro restaurante famoso que não é tão caro como se pode imaginar é o “Le Fumoir”, ao lado do Louvre no número 6 da rue de l'Amiral de Coligny. O menu com entrada+prato+sobremesa custa em torno de 25 euros também. E a comida é simplesmente DELICIOSA, sem falar no ambiente, já que o restaurante tem uma espécie de biblioteca em seu interior. O atendimento é também um de seus pontos altos.
Entrada no "Le Fumoir"


Acompanhada de truta com risoto de rúcula como prato principal no "Le Fumoir"

Para finalizar, no "Le Fumoir", uma sobremesa nada light: bolo de chocolate com creme de laranja
Mais um restaurante que conheci em terras parisienses e que vale a pena é o “Le Ragueneau”, no número 202 da rue Saint Honoré, bem perto do Louvre. Ali era um antigo teatro, onde Moliére já havia encenado e que também ficou conhecido por ser o local onde Edmond Rostand, escritor da peça Cyrano de Bergerac, costumava frequentar. O menu com prato+sobremesa custa menos de 24 euros e a comida é muito bem servida.


Prato principal para uma pessoa (grande, né?) no “Le Ragueneau”


o Menu acompanha a sobremesa. Escolhi esse singelo Profiterolis no “Le Ragueneau”

E há o meu preferido entre todos. O restaurante tido como mais antigo de Paris: Le Procope. Fica no número 13 da rue de l’Ancienne Commedie e tem menu a 29 euros (entrada+prato+sobremesa), atendimento excelente e uma história fantástica, pois era ali que os revolucionários como Robespierre e Danton tramaram a Revolução Francesa. Claro que, naquela época, ele não era o restaurante chique que é hoje, mas eu adoro ir a locais com história. E isso pode-se ver muito na França. Esse é um país que preserva sua história e estimula os jovens a aprenderem sobre ela. Sinto falta disso no Brasil...

Confit de Canard maravilhoso no "Le Procope"
Acompanhado desse imenso creme Brullé simplesmente divino!

A Binetôt!

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Feiras de bairro em Paris

Bonjour, amigos!
Um dos grandes prazeres de se morar em Paris deve ser o de poder frequentar as feirinhas que acontecem, todos os dias da semana, em bairros diferentes. A feira de Saint Germain des Prés, no 6 arrondissement, tem de tudo: cerejas enormes, do tamanho de uma bola de gude; morangos e framboesas com um aroma delicioso, legumes diferentes como aspargos frescos, mini rabanetes e mini cenouras com talos; peixes e camarões de dar água na boca e muitos condimentos interessantes. Posso imaginar que, para quem gosta de cozinhar, seja um oásis visitar um lugar como esse. O mais impressionante é que as feiras são pequenas, geralmente em uma praça, mas tem de tudo e com alta qualidade. E nada é tão caro assim que impossibilite mesmo a nós, brasileiros, de comprar bons ingredientes para um almoço de domingo.







A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2013

sexta-feira, 28 de junho de 2013

Hediard, uma lojinha deliciosa em Paris

Bonjour, amigos!

Numa das minhas andanças por Paris, descobri uma lojinha muito bacana chamada “Hediard” que fica na Place de la Madeleine. É uma loja que vende desde temperos, doces, biscoitos até comida pronta, tortas, vinhos e tudo de gostoso que se puder imaginar. Fiquei encantada com o lugar, pois além de cheirosa a loja era linda com tudo ricamente organizado de forma a alegrar os olhos e abrir o apetite. Dá vontade de levar tudo! Vale o passeio!









A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM JUNHO DE 2013

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Dia de passear sem rumo na Paris que amo

 Bonjour,amigos!
Ontem foi meu último dia em Paris. Acordei tarde e saí para passear sem destino. Primeiro fui até a casa onde, supostamente, moraram Abelardo e Heloísa. É uma casa comum, mas tem uma placa na frente dizendo que eles moraram ali. Na verdade, Abelardo e Heloísa são como Romeu  e Julieta, um casal que viveu um amor proibido e pulou da ficção para a realidade. É claro que eles não existiram de verdade, mas eu acho interessante ver que a França preserva suas histórias e sua literatura e que dá a mesma  importância para uma história de ficção como dá para as histórias reais. Gostaria que no Brasil fosse assim também...

Fachada da suposta casa de Abelardo e Heloísa

Passeio pelo Sena no outono

Vista da Notre Dame através das folhas amarelas de outono

Lojinha pelo caminho
Depois fui até a Galerie Laffayete para ver a árvore de natal, passeei pelas ruas do bairro de Saint Germain des Prés e fui almoçar na Ladurée, uma lojinha de doces, mas que tem um restaurante atrás. Comi um omelete, pois desde o Mont Saint Michel que eu estava com vontade de comer um e acabei não tendo oportunidade. Como sobremesa pedi um “religieux” de pistache, que é uma espécie de éclair, só que em vez de ser comprido, é feito com duas bolas, como se fosse um sorvete. Gostoso.

Àrvore de Natal da Laffa

Meu omelete da Ladurée

Religieux de pistache



Cheguei cedo em casa, pois tinha de terminar de arrumar tudo antes de 20h30 que foi o horário que marquei com dois amigos que moram aqui para sairmos e tomarmos um café. Na verdade fomos a um bar bem bonitinho onde conversamos bastante e ouvimos música. Foi bem bacana. Gostei de revê-los, pois agora só terei outra oportunidade quando voltar à Paris.

Igreja Saint Germain des Près
Hoje acordei bem cedo, pois deveria sair do apartamento ás 7h para ir ao aeroporto. Um amigo foi me buscar para fazer meu transfer e me ajudou com algumas questões  práticas no aeroporto como embalar mala, fazer check-in nos totens e despachar a bagagem na fila preferencial já que, para voltar, o meu  bilhete era da classe “voyager premium”, que é uma classe intermediária entre a econômica e a executiva. Aliás, adorei viajar nessa classe. Há muito mais espaço nas poltronas e uns mimos dentro do avião. Dessa vez o menu da Air France estava bem diferente dos outros anos e acabei pedindo um  “parmentier de canard” que é uma espécie de “escondidinho com carne de pato” que estava uma delícia (quase pedi outro, mas me contive e banquei a mocinha educada ficando só com o meu mesmo!), além disso havia umas balas de caramelo da Mére Poulard, aquela marca lá do Mont Saint Michel,a ssim como uns biscoitos da mesma marca. O voo foi bem tranquilo, pouquíssima turbulência e um céu maravilhosamente lindo! Eu havia comprado corredor, mas como não tinha ninguém do meu lado, pulei para a janela e fiquei observando aquele pôr de sol dourando as nuvens. Era a coisa mais linda do mundo! Pena que eu tinha guardado a máquina na mala que estava no bagageiro de cima e não quis pegá-la. Na chegada as malas demoraram um pouco, mas vieram direitinho. Peguei um táxi e vim para a casa. Como foi bom chegar em casa dessa vez! Estava com saudade do meu cantinho! Claro que já estou planejando a próxima viagem (como sempre!), mas acho que depois dessa minha ida à Europa em grupo, aprendi muita coisa e descobri muito sobre mim e sobre meu estilo de viajar.
A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM NOVEMBRO DE 2012

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Angelina, um salão de chá na chuvosa Paris


A Bientôt!

Bonjour, amigos!
Hoje acordei tarde (como sempre!) mas estava chovendo, o que me irrita bastante, porém como eu havia marcado de encontrar uns amigos no “Angelina”, que é um salão de chá bem famoso aqui em Paris, me recusei a ir de metrô e mesmo na chuva, fui a pé até lá, afinal de contas, andar é um dos meus maiores prazeres em viagens.  O "Angelina" fica na rue de Rivoli, perto do Louvre, quase em frente ao Jardim de Tuileries. É relativamente perto de onde estou hospedada e como era meu penúltimo dia na cidade, quis aproveitar para ver mais a cidade e de metrô isso não é possível.
Tomamos o famoso chocolate quente de lá. Delicioso! Daqueles bem grossinhos e com sabor de chocolate mesmo. Além disso, o lugar é uma graça e o atendimento muito simpático.




Depois fomos passear pela Fauchon, um tipo de épicerie, com muitos doces, geleias, compotas, azeites, temperos e tantas outras delícias que agradam o paladar. A chuva não estava dando trégua e acabamos voltando cedo para casa. Mais tarde, saímos novamente para um último jantar ainda com parte do grupo, pois alguns já haviam ido embora. E ainda fui com um amigo ao supermercado, pois ele ainda queria comprar umas últimas coisinhas antes de ir embora.





Como amanhã é meu último dia em Paris, já aproveitei para arrumar a mala hoje, assim não fico toda atolada para o dia seguinte. Dessa vez eu acabei comprando mais coisas que de costume, na verdade, nem foi isso, mas é que o que eu comprei nessa viagem é mais frágil, portanto, embalar na mala fica um tanto mais complicado. Mas nada que não se dê um jeito!
A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM NOVEMBRO DE 2012

domingo, 16 de dezembro de 2012

A maior exposição de Salvador Dalí em Paris


Bonjour, amigos!

Hoje acordei bem tarde e aproveitei para passear perto do Pantheon, bem ao lado daquela rua em que o personagem do filme “Meia noite em Paris” fica esperando o carro para levá-lo aos anos 20. Mas não apareceu nenhum carro para me levar a outra época...uma pena! Então aproveitei mesmo para tirar muitas fotos.

Pantheon

A escadinha onde o personagem de "Meia noite em Paris" espera seu carro para voltar no tempo


Igreja Saint Etienne du Mont
De lá fui ao Centre George Pompidou (metrô: Rambuteau) , uma espécie de Museu de Arte Moderna daqui, pois começou, na semana passada, uma exposição do Salvador Dalí e como amo esse pintor surrealista, resolvi conferir. A exposição está belíssima! E muito grande! Com quadros, desenhos e alguns filmes em que o próprio Dalí explica sua obra. Poucas esculturas, mas essas podem ser vistas no Espace Dalí, dedicado a ele em Montmartre. Ouvi dizer que essa é a maior exposição já feita das obras dele em Paris e vai ficar até março do ano que vem. Recomendo MUITO a visita para quem curte Dalí. É possível tirar fotos de algumas obras, não de todas, mas vale a pena. Ingresso a 13 euros. O museu funciona de 11h ás 21h (fecha às terças) e às quintas e sextas até 23h.





De lá fui até o Café de la Paix encontrar uns amigos e tomar um delicioso cappuccino com éclair de chocolate. Bom (e caro) demais!


Depois fui dar uma voltinha pela Laffayete Gourmet, mas não comprei quase nada. Voltamos cedo pra casa pois estávamos cansados. Chega uma hora na viagem em que a gente precisa descansar para poder continuar no pique, senão acaba ficando doente e meu dia de descanso era hoje.

A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM NOVEMBRO DE 2012