domingo, 15 de agosto de 2010

Mais um dia em Roma

Ciao, amigos!

Acordei cedo hoje, tomei meu lauto café da manhã no hotel e fui passear de ônibus turístico, já que meu bilhete é de 48h tenho até amanhã pra ficar rodando. Saltei no "Largo Torre Argentina", onde estão as ruínas do que foi o Senado Romano e onde, teoricamente, Julio César foi assassinado em 44 a.c. O mais incrível é que não havia uma única placa informando sobre isso, aliás, não havia placa informando nem que aquele monte de ruínas tinha sido o Senado Romano.



Dali, fui andando até a Piazza Venezia, onde fica o monumento dedicado a Victtorio Emmanuelle II, o rei responsável pela unificação da Itália (ao lado de Garibaldi, mas isso ninguém diz...). É um monumento enorme, todo em mármore branco, bonito, mas um tanto pesado demais...Lá dentro há um museu dedicado à arte da Guerra, gratuito.
Lá de cima é possível ver a Piazza del Popolo onde está o Obelisco de Ramsés II, instalado por Sisto V em 1589. Ele é meio rosado e cheio de hieroglifos. Ao lado estão as Igrejas gêmeas, acrescentadas em 1675. É claro que todas essas informações eu só tenho porque estudei previamente, porque aqui não há nada informando, um folheto, uma placa, nada!







Saindo de lá, eu tinha comprado ingresso pela internet para a Galleria Borghese, um museu que existe dentro do parque da Vila Borghese, mas quando eu cheguei lá, o rapaz disse que eu não poderia entrar com mochila. Ok, já estou acostumada e sempre carrego uma bolsinha pequena pra essas ocasiões. Estava eu colocando as coisas de valor na bolsa menor quando ele me disse que eu não poderia entrar com nenhuma bolsa! Meio contrariada em ter de deixar máquinas, celular e MP3 ali, peguei minha carteira e ele disse que nem a carteira poderia entrar! Fiquei revoltada! Como assim? Ele acha que eu vou esconder uma escultura na carteira e levar pra casa???? Achei um absurdo e desisti de entrar no museu! Ele achou estranho e ainda me falou em italiano: "mas você já está com o ingresso, o museu é muito bonito!" e eu respondi com um italiano que nem eu sabia que tinha: " Da mesma forma que vocês não confiam em mim, eu também não confio em vocês, quem garante que tudo estará aqui quando eu voltar?". Saí de lá muito revoltada! Estou na Itália há quase um mês, já entrei em tudo quanto foi museu e igreja e nenhum tinha essa regra absurda de não poder levar nem a carteira! Enfim, eu que já não estava gostando de Roma, agora gosto menos ainda...
Dei uma volta no parque e resolvi ir até o Vaticano de metrô, pois amanhã tenho que madrugar lá e não quero me perder nem chegar atrasada, então fui ver onde era o local de encontro que está no meu voucher. Foi fácil de achar, mas demora mais do que eu achei que demoraria pra chegar. Ainda bem que fui hoje!
E não é que eu acabei, sem querer, vendo o papa! Na hora que cheguei era justamente a hora em que ele estava lá dando a bênção. Praça lotada! E ele ali no telão. Eu que fiz tanta questão de vir a Roma e não ver o papa, não consegui! Affe! Até isso deu errado!
Almocei ali pelo Vaticano mesmo,comida boa e barata! Comi salada, o que não comia há tempos! Comprei umas bobagenzinhas e tirei muitas fotos: da entrada da cidade com seu muro em torno, dos guardas que vestem uma roupa engraçada e dos meus pés pisando em duas cidades ao mesmo tempo: Roma e Vaticano e, claro, da Basílica de São Pedro!









Saí de lá e passei no Castelo Sant'Angelo, antiga fortaleza dos papas e que tem um Arcanjo Miguel no cume. Ele fica bem do lado da Ponte de Sant'Angelo que passa por cima do rio Tibre. Tirei mais fotos e, a essas alturas, já estava cansada.


Voltei pro hotel de ônibus turístico, mas antes passei no mercado pra comprar umas frutas.
Continuo achando Roma uma cidade chata...Talvez amanhã, depois da Capela Sistina ou depois de ir ao Coliseo tudo mude, mas por enquanto estou achando que eu não precisava ter esticado a viagem até aqui. Enfim, esperemos o dia seguinte, afinal, Roma não se fez em um dia...

Arrivederci!

Em tempo:
Aos leitores desse blog que amam Roma:
Não estou comparando Roma com Paris, Veneza ou Firenze, mas tenho o direito de não gostar dela e expressar aqui minha opinião.

A um leitor em especial:
Roma não é mais suja que o Brasil, é verdade, mas vim para a Europa buscando algo diferente do meu país: mais limpeza, mais organização, afinal não é isso que chamam de primeiro mundo? Pra ter o mesmo que tenho na minha terra, não precisaria atravessar o oceano!

VIAGEM REALIZADA EM AGOSTO DE 2010