sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Viagenzinha à Paquetá (Sendo turista na própria cidade)

Olá, amigos!

No último carnaval, tudo o que eu queria era paz! Queria fugir do burburinho e da confusão da minha rua, onde há uma quadra de escola de samba do Grupo especial do Rio de Janeiro, então eu e meus amigos fomos passear em Paquetá, uma ilha que fica na Baía de Guanabara, a 1h10 do Centro do RJ.
O dia amanheceu chuvoso e até pensamos em desistir do passeio, mas havíamos combinado esse piquenique há mais de um ano e, da última vez que tentamos, nos frustramos por não termos conseguido ir. Então decidimos que uma chuvinha não nos deteria! Pegamos a barca na Praça XV as 10h30 da manhã (4,50 reais a passagem de ida) e concordamos em fazer desse um passeio verdadeiramente delicioso!
Esses aí embaixo são meus amigos na barca. Fizemos uma baguncinha na proa da barca...

...passamos por baixo da Ponte Rio-Niterói que tem 14 km de comprimento e 36 anos de construção...



...e finalmente chegamos à ilha de Paquetá, que tem apenas 400 habitantes fixos, mas que pode chegar a 3000 pessoas nos fins de semana e feriados prolongados...


Logo que chegamos, fomos ao Parque Ecológico de Paquetá, um belo parque com entrada grátis que fica na ponta esquerda da ilha. Ali sentamos em alguns bancos e fizemos nosso piquenique...e, claro, tiramos fotos! Aliás, o lugar, apesar do dia estar nublado, era lindo! E valia a pena tirar fotos com aquele belo cenário ao fundo...
Após a comilança, tínhamos que gastar aquele monte de calorias ingeridas, então resolvemos andar pela ilha. Andamos, andamos e andamos! Não satisfeitos, resolvemos fazer uma pequena trilha que leva a um belo mirante, muito usado pelos namorados. Subimos e apreciamos a linda vista...





Depois que descemos do mirante, continuamos passeando para ver outros pontos turísticos de Paquetá, como a estátua de golfinhos...


...que fica bem em frente à casa que pertenceu a José Bonifácio, o patrono da Independência...


...outro lugar muito bonito foi um caramanchão de pedra que encontramos pelo caminho...


...Há também pedalinhos em forma de cisne para quem quiser se aventurar a pedalar nas águas na Baía de Guanabara. Pessoalmente, eu não aconselho, a não ser que seu sonho de consumo em uma viagem seja voltar para casa com hepatite. Mas que os pedalinhos são lindinhos, isso são!



Foi em Paquetá que Joaquim Manoel de Macedo ambientou seu famoso livro "A moreninha" (que também virou novela da Globo). E assim como a catedral de Notre Dame ficou famosa pelo corcunda Quasímodo ou as ruas de Verona ficaram famosas por serem o cenário dos apaixonados Romeu e Julieta, Paquetá também tem seu local famoso, que salta da literatura para a realidade e que é conhecido como "A pedra da Moreninha", onde a protagonista Carolina espera pelo seu amado Augusto. O autor explica, no livro, a origem de uma fonte de águas cristalinas que teria existido ali até o século XIX. É uma história baseada em uma lenda indígena e também conta a origem do local que é hoje conhecido como "O túnel do Amor"...



...passando por esse pequeno e estreito túnel chega-se à praia conhecida como "Praia da Moreninha"...


...ao lado há uma pequena trilha (mais uma! Pra quem não gosta de trilhas, duas no mesmo dia está de bom tamanho!) que leva ao topo da pedra...



...mas só se chega ao topo, de fato, depois de passar por uma sinistra ponte de madeira que, pelo estado em que se encontra, deve ser do tempo que Joaquim Manoel de Macedo escreveu o livro. Enfim, depois do sacrifício, a vista vale a pena!...




Depois dessa meia-maratona de subidas e descidas, ainda nos faltava ver metade da ilha (e eu que achava que ela era pequena...), então resolvemos fazer um passeio de charrete (50 reais para 40 minutos de passeio. O preço é por passeio e não por pessoa!), aliás, um dos poucos meios de transporte que existem por lá. Ela só compete com o cavalo e a bicicleta, já que carros e ônibus não existem na cidade.
Descobrimos alguns lugares interessantes, com casinhas singelas de varandas floridas...



...pracinhas arborizadas com mesas para jogar damas...



...um cemitério de pássaros...


...e a lenda do baobá, que é uma árvore centenária apelidada de "Maria Gorda". Diz a lenda:
"Sorte por longo prazo
a quem me beija e respeita
Mas sete anos de atraso
a cada maldade a mim feita"


Achamos a cidade toda muito bucólica e interessante, ótima para o passeio de uma tarde, principalmente porque o dia estava relativamente fresco e pudemos passear bastante sem nos cansar muito.


Ás 17h30 há uma barca de volta e foi essa que pegamos. O dia foi muito divertido! É muito bom poder passar um dia feliz com pessoas que eu amo e que sei que me amam também. Amigos são um bem precioso na vida e Deus me brindou com alguns muito especiais! Afinal, amigos são os irmãos que escolhemos!

Até breve!

VIAGEM REALIZADA EM FEVEREIRO DE 2010

6 comentários:

Blower's Daughter disse...

Karlinha!
Que lugar lindooooo! Estou encantada de ver as fotos!!!
Um ótimo lugar pra fugir da folia do Carnaval...e da correria do dia-a-dia. Perfeito pra passear com os amigos e fazer um pic-nic como vcs fizeram! Fiquei até com vontade de ir aí, quem sabe um dia né!
Bjokinhas!
Saudades!

P.S.:comentei o post de Veneza tb!;)

Angela E. M. Knaesel disse...

Linda demais a Ilha!!! Colocarei na lista de lugares a conhecer! Bjosss.

aerrantecaminhante disse...

Oi Carla,
Encontrei seu blog através da "Janela Laranja" e passei aqui para dar uma espiadinha.
Adorei passear com com você por Paquetá!
Bjos Yoyo

ilma disse...

Karla, adorei sua narrativa. Paquetá é linda mesmo e muitas pessoas do próprio -RJ não conhecem esta maravilha. Aliás para acrescentar a sua viagem, Paquetá é considerada bairro do RJ e quase ninguém sabe.
Bjs
Ilma

Cristina disse...

oi, Karla!
Achei seu blog em pesquisas sobre Paquetá e gostei muito do que vc postou! Vi que vc foi ao parque onde quero ir (Darke de Matos). Vc lembra como é lá? Se dá para ir de chinelo mesmo, ou se é melhor ir de tênis? Quero fazer um passeio por lá e como nunca fui neste parque, gostaria de saber qual o melhor calçado... pode me ajudar?

Bjs,
Cristina Sari (crissari1@gmail.com)

Karla Gê disse...

Oi, CRis!
Obrigada pela visita no blog!
Acho que Paquetá merece ser conhecida de tênis para que vc possa ter mais segurança e mobilidade em tudo que irá fazer por lá. Só aconselho usar chinelo quando o passeio é exclusivamente na praia, como esse não é o caso, aconselho vc a ir de tênis e levar um chinelinho na mochila, daí se vc achar melhor, calçar o chinelo.
Eu fiz tudo de tênis pq acho mais seguro, até para não virar o pé.
Beijos