segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Buenos Aires é tão perto e tão bonita!

Hola, amigos!

Acabo de voltar de mais uma viagenzinha a Buenos Aires, essa cidade que tanto me encanta, apesar de todos os problemas governamentais pelos quais vem passando.
Dessa vez fomos meio de sopetão, sem grandes planejamentos. Claro que eu estou sempre planejando viagens, mas essa veio por causa de uma promoção do meu cartão de milhas e conseguimos as passagens, praticamente, de graça. Só que, como isso aconteceu já no fim do ano, nem deu para eu fazer muitas pesquisas.
Porém uma das pesquisas que fiz, e não me arrependi, foi consultar um blog chamado  http://airesbuenosblog.com/ . Através dele eu descobri que o Túlio Bragança, um brasileiro que mora há 9 anos em Baires, estava fazendo um tour guiado voltado exatamente para brasileiros que já tinham ido algumas vezes à cidade e queriam conhecer um outro lado dela. Ou seja, eu me encaixava perfeitamente! Então, mandei um email para ele e me inscrevi.
No dia e hora marcado, estávamos lá. Começamos o Tour com o encontro no Starbuks que fica na esquina da calle Peru com Belgrano. O prédio em si já é lindo e tem um monte de história, pois já foi sede do consulado Austro-húngaro na época da I Guerra Mundial, mas a guerra acabou e o império Austro- húngaro também, logo, o consulado se tornou inútil. O Túlio nos explicou que aqueles homenzinhos entalhados no teto do prédio chamam-se Atlantis e cada um representava uma das profissões que ajudaram a erguer o prédio como o carpinteiro, o ferreiro, o mestre de obras, etc...hoje em dia o prédio abriga escritórios comerciais.  É bem bonito.

O tour começa com as explicações do Túlio sobre o prédio do Starbucks


prédio do Starbucks com os Atlantis
 Dali, entramos numa van climatizada bem confortável, com uma garrafinha de água mineral nos esperando como cortesia. Lá dentro o Túlio foi explicando vários pontos turísticos, tanto os mais conhecidos como os menos. Nossa primeira parada foi a Pasaje Lanín, uma gracinha de lugar no bairro do Barracas. O lugar lembra o colorido do Caminito, porém com muito mais personalidade e muito mais tranquilo que aquele burburinho todo que vemos no bairro La Boca.
São apenas 3 quadras, todas com decoração bem interessante, mosaicos, tudo com formatos e cores bem vivas e diferentes!

Pasaje Lanín 

Pasaje Lanín

Homenagem ao criador da Pasaje Lanín

A foto da galera toda

Pasaje Lanín

O Túlio nos explicou que a decoração divertida começou com o artista Marino Persico que decorou a fachada da própria casa no início dos anos 90. Como os vizinhos gostaram, pediram para que o artista fizesse o mesmo em suas casas. Depois de um tempo já eram 35 casas coloridas alegrando a vida dos moradores daquela rua. Essa era minha sexta viagem a Buenos Aires e eu nunca tinha ouvido falar nessa passagem. Adorei conhecer o lugar!

Durante o passeio, passamos por uma linda praça na Recoleta

Também passamos pelo Hipódromo, uma febre para os argentinos

E passamos ainda pelo lindo Palácio de águas corrientes (uma espécie de CEDAE de lá)
De lá, entramos novamente na van, passeamos mais um pouco por Buenos Aires com belas explicações históricas dos lugares e paramos no Parque de la Memoria, um parque à beira do rio da Prata, bem pertinho do aeroporto menor da cidade, o Aeroparque, e perto também daquele parque temático chamado Tierra Santa ( escrevi sobre ele nesse post: http://viajecomigoamigo.blogspot.com.br/2011/01/um-dia-dedicado-religiosidade-em-buenos.html ).
Esse parque não tem o nome "de la Memoria" à toa. A ideia é não deixar que os argentinos esqueçam as agruras que passaram durante a ditadura militar no país. Existem mapas de onde moram os genocidas, uma estátua em homenagem a um escritor que foi morto por causa da ditadura, um muro com os nomes de todos os mortos durante o período negro (ainda há espaços vazios no muro, pois a cada vez que se descobre uma nova pessoa morta pela ditadura, um novo nome é acrescentado).
O lugar é, ao mesmo tempo, bonito e inquietante. Vale a pena conhecer.

monumento no Parque de la Memoria

Muro com os nomes dos mortos pela ditadura

mapa de onde moram os genocidas

monumento "Pensar é um ato revolucionário"
De lá, fizemos uma rápida parada na frente do Estádio do River Plate, onde, além de jogos clássicos de futebol, também acontecem shows de música de cantores e bandas famosas.


Dalí fomos rumo a nossa última parada: o Mercado de las Pulgas. Um local estilo brechó, onde se acha muita velharia e muita antiguidade também. É preciso saber escolher, garimpar e tentar sempre o melhor preço. Como não iríamos comprar nada, apenas tirei umas fotos e saímos.






O tour fecha com chave de ouro, pois, dentro do pacote, está incluído um delicioso sorvete argentino ( um dos melhores que já provei, só perde para os italianos!) numa sorveteria chamada Occo, que fica na calle Dorrego 1581, (esquina com Niceto Vega). O lugar é uma gracinha, com mesinhas na calçada e um sorvete artesanal DELICIOSO!!!



Nosso passeio acabaria no bairro de Palermo, mas como o motorista da van iria mesmo voltar para o Centro, ele foi super gente boa em nos deixar no Obelisco, bem pertinho de onde estávamos hospedadas.

Túlio, nosso guia nota 10 e nosso motorista gente boa
Resultado do dia: felicidade suprema por conhecer lugares diferentes e desconhecidos em Baires!
O Túlio continuará fazendo tours pela cidade. Não apenas esse que fizemos, mas outros tipos também. Se você vai a Buenos Aires e quer ter uma experiência diferente, com um tour feito para brasileiros por brasileiros que vivem e amam Buenos Aires, entre em contato com ele. O link que explica tudo sobre o tour vai abaixo:

http://airesbuenosblog.com/aires-buenos-tour-city-tour-em-buenos-aires/

Hasta Luego!

Em tempo: Este blog não recebe comissão para falar dos serviços do Túlio, recomendo porque testei e aprovei!

VIAGEM REALIZADA EM JANEIRO DE 2015





5 comentários:

Túlio disse...

OI, Karla! Ótimo ver o Aires Buenos Tour por aqui! Foi muito bom ter você e sua mãe no passeio. Pena que não deu pra conversar mais. Muito obrigado pelo post. Besos!

Karla Gê disse...

O passeio foi ótimo! Adoramos tudo! É sempre bom poder conhecer lugares que eu nem imaginava que existissem! Da próxima vez, conversaremos mais!
besos e obrigada pelo comentário!

Anônimo disse...

Olá Karla a ultima viagem fiquei em um hotel na Bartolomeu dimitri gostaria que me desse alguma de hospedagem tipo ap pousada pois pretendo voltar em breve

Alessandra

Karla Gê disse...

Alessandra,
Não dei muita sorte com hospedagem em Buenos Aires. Das 6 vezes que fui, só duas eu fiquei em locais que posso recomendar. Um deles foi o Ibis (tem um na avenida Corrientes que é muito bem localizado em se tratando de centro. Não aconselho a ficar no Ibis Congresso pois o local é meio perigoso à noite); na outra vez fiquei num hotel bacaninha e simples chamado Gran Hotel Vedra que fica na Avenida de Mayo, contudo é muito perto do Congresso e longe da parte boa do Centro.
Eu te aconselho a ficar perto do Obelisco, de preferência na Corrientes ou na Florida. A Carlos Pelegrini tbm é uma boa rua, mas tem de ser PERTO do Obelisco (no máximo duas quadras). Caso queira fujir do Centro, o bairro da Recoleta para mim é o melhor, especialmente perto do metrô Puyerredon. O problema é que é meio caro...:(
Obrigada por ler o blog e espero ter ajudado!
beijos

Adriana disse...

Oi Karlinha,
Que delícia, não sabia que tinha estado em Buenos Aires em janeiro. Também pretendo voltar nessa cidade que adoro em 2017. Sempre fiquei próximo ao Centro (já fui a BA 5 vezes) mas desta vez quero ficar na Recoleta ou em Palermo. Muito boa dica! Bjs.