segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Giverny,os belos jardins do mestre Monet

Bonjour, amigos!

Hoje tive de deixar o apto, então, como eu havia planejado, fui para um hotelzinho aqui na rua ao lado. Chama-se Hotel Mont Blanc e é bem simpático. Quarto grande, ar condicionado, wifi e minha janela tem vista para a Rue de la Huchette que é uma das mais movimentadas aqui do Quartier Latin. Eu adoro!



Depois de me instalar, resolvi fazer um passeio a Giverny, o local onde ficam os jardins de Monet e que ele registrou magistralmente em suas obras. É bem simples chegar lá. O embarque é na Gare Saint Lazare (então, basta seguir o passo a passo do post anterior, da minha ida a Rouen) e deve-se comprar a passagem para parar em Vernon, que é o nome da cidade onde fica Giverny. Ida e volta custaram 25,60 euros. Preste atenção ao número do trem indicado na passagem de ida, pois, geralmente, os trens não têm Vernon como destino final. Pode ser que o trem vá para Rouen ou para Havre ou para alguma outra cidade que tenha parada em Vernon, por isso fique atento ao quadro de “depárts” na Estação. E não deixe de compostar seu bilhete (passar naquela maquininha amarela na frente da plataforma para carimbar o dia e a hora), senão estará sujeito à multa.
A viagem demora 45 minutos e, ao chegar lá, há um ônibus (aqui eles chamam de “navette”) coordenado com o horário dos trens, que leva direto a Giverny. A pé são 6 km. O ônibus custa 4 euros (ida e volta, portanto guarde seu bilhete com cuidado!), demora uns 15 minutos e, o chegar, basta seguir por uma passagem subterrânea e depois ir em direção às placas que dizem “Fundation Claude Monet”. Dica: não siga a placa que diz “acesso direto”, pois indo por ali, você não passará pelo Office de Tourisme e não conseguirá pegar um mapa. Depois da passagem subterrânea siga em frente, em direção ao Museu dos Impressionistas, que o Office de Tourisme fica a direita.




O ingresso para os jardins e a casa onde ele morou custa 6 euros (ano passado havia diferenciação. Quem quisesse ir só aos jardins pagava 4 euros e quem quisesse, além dos jardins, entrar na casa, pagava 6. Esse ano acabou. Custa 6 e pronto!) e, passando pela roleta, você está prestes a entrar em um quadro de Monet! Os jardins são lindíssimos! Foram plantados pelo próprio pintor e, ao ver tudo aquilo, a gente consegue entender por que ele tinha tanta inspiração! O lugar é mágico!



Ano passado eu fui no alto verão e os jardins estavam mais floridos, mas esse ano, indo nesse pré-outono, apesar de ter menos flores, há uma luminosidade indescritível! Tudo parece dourado. As folhas já marrons, prestes a caírem, ficam com uma cor especial quando iluminadas pelo sol. É muito bonito!



Eu não quis entrar novamente na casa (havia entrado ano passado), pois estava muito cheia e não se pode fotografar lá dentro, então fiquei ali, passeando por aqueles jardins no fim da tarde. Tirando inúmeras fotos!


Na saída, passei pela lojinha de souvenirs (se não quiser ir à falência, melhor nem levar cartão de crédito, porque dá vontade de comprar tudo! E tudo é muito caro!) e comprei só uns guardanapos que minha mãe tinha me pedido (e uma caneta e uma lapiseira. Não resisti!) e saí rapidinho antes de cair em tentação!


Fiz um lanche em um restaurante simpático com varanda. Torta de morango e cappuccino. Aliás, o melhor cappuccino que tomei aqui na Europa!


Voltei para o estacionamento para pegar o ônibus e ir para a Gare. Outra dica: ao comprar o bilhete na ida, nesse ônibus, peça ao motorista um papel com os horários de retorno. Ali também estão os horários dos trens de volta para Paris. Peguei o trem e vim ouvindo MP3 a viagem toda. Cheguei aqui e fui comer um crepe em frente à Notre Dame para aproveitar meus últimos momentos em Paris, pois amanhã vou para Nogent sur Marne, uma cidade na periferia de Paris, onde fica o apto do David, que aluguei para ficar nos meus últimos 4 dias aqui. Pretendia ir a Estrasburgo, mas ouvi dizer que terça e quarta vai haver greve na França e não sei se os trens irão funcionar. Vamos ver.

A Bientôt!

VIAGEM REALIZADA EM AGOSTO/SETEMBRO DE 2010

7 comentários:

tereza disse...

Menina, Paris é um sonho, não?

Parabéns pelo blog, achei super legal.

Também amo viajar. Volto de uma e já começo a planejar a próxima viagem...hehe

Em outubro estive na Polinésia Francesa e hoje posso garantir que o paraíso existe.


Bjs,

Andressa (from CWB)
**usando conta do Google da minha mãe, pois não tennho uma*

Luciana disse...

Ótimas dicas práticas de Giverny. Também estou querendo passar um dia lá. Obrigada e parabéns pela sua viagem! Luciana - Brasília

ilma disse...

Adorei as Dicas (como sempre) e as fotos!!!!!! AH!!!! as fotos no outono tem umm luz linda!
Ame!

Anônimo disse...

sensacional,teu passeio,por visitar
lugar tao historico,por ter ido
ao lugar honde essa heroina viveu,valeu,estou pintando uma tela,
em memoria de joana darc,um abraço

Simone disse...

Oi Karla,
estou passando um ano após minha viagem para dizer que seus posts me ajudaram muito na organização da viagem.

Fiz Giverny e Rouen em um mesmo dia. Deu super certo. Achei que pela hora que chegamos, eu e amiga a Giverny, não conseguiríamos ir a Rouen, mas deu certo e terminamos Giverny extamente na hora de pegar o bus de volta à estação de trem. Compramos o bilhete Paris-Rouen-Paris e saltamos em Giverny. Eu achava que precisaria comprar Paris Giverny - Giverny Rouen, mas não foi necessário.

Parabéns pela clareza de suas informações. abço

Karla Gê disse...

Simone,
Fico muito feliz em ter ajudado a sua viagem a sair redondinha! Essa é minha maior intenção aqui no blog!
Obrigada pelo feedback!
beijos

Simone disse...

Oi Karla, agora estou preparando para outro lugar e já estou lendo sobre Barcelona.
bjo